Depoimento: Fiz tudo errado! Agora já era !? Não há culpados. Somos todos humanos e merecemos nos amar e recomeçar!


Escrever com o coração, é o que se diz, produz mais frutos. Que o meu relato ajude alguns ou a muitos!

Eu estava me amando muito por fora. Por dentro estava em caco. Recém separado do homem, que amei como o ar que se respira, eu estava em obras, buscando razão e emoção para me reerguer. Fiquei sete anos sem os truques da paquera, mas o caminho não mudou: ficar bonito, ficar esperto, ficar visível. Na fachada, deu certo. Cabelo novo, corpo novo, roupas novas. Em um ano, estava renascido, reluzente, polido. Os olhares na rua e as mensagens nos aplicativos dizendo que o processo deu certo. Lindo por fora.

Aí eis que surge um gato. Desses que andam seguros, equilibrados. Magro, esguio, com molejo de corpo e rosto de príncipe. Pequenino como eu gosto, delicado, cheiroso. Quando o vi entrando no aniversário já vibrei por dentro. Em duas horas o prensava contra a parede e fazia planos do cinema ao longo da semana. Tudo meio escondido de todos. Era sério isso aqui!

Por dois meses nos vimos muito. Voltei a curtir, voltei a fazer amor. Sim, amor! Desde separado, nada havia feito além de beijar. Eu gosto de fazer amor, de trocar energia. Ficamos nessa nos curtindo. Ele meio esquivo, eu inseguro, mas uma química reativa.

Falei de inseguro, né? Então, eu sou assim. Descobri depois. Na verdade, foi ontem, olhando para o teto da psicóloga que tenho ouvido recentemente. De tão inseguro, de tanto medo de falhar, falhei. Broxei. E foi a segunda vez. No papel vaidoso de homem, tinha que achar uma solução rápida: recuperei a ereção e entrei sem. Sem preservativo e sem entendimento. Ato consumado, a culpa.

A culpa veio escura, pesada, arrastando corrente. De onde eu flutuava ignorante me puxou para o fundo. Permaneci imerso nos pensamentos obsessivos de: Fiz tudo errado! Agora já era! Me senti errado, poluto, maculado e estúpido. Atraíra para mim o que mais temia.

Corri pra internet. Ok, Amigos Positivos aqui diz! Opa, PEP! Prevenção, iniciar imediatamente. Endereços. No dia seguinte, pela manhã, juntei meus cacos esparramados, colei meio sorriso na cara e CTA. Cheguei aterrorizado, branco e trêmulo. Na consulta inicial teste e relato da relação. O resultado levou horas (mesmo). Negativo. Um ufa e um pilha de caixas verdes. Três frascos depois, eu estava roto, perambulando por Botafogo procurando água pra engolir a esperança. Lembrando aqui que eu ainda tinha medo de morrer. E de viver também.

Para o rapaz nada falei. Em casa nada falei. Só pra mim falei. E demais. Me torturei demais. Milhares de pensamentos de todos os tipos doídos. Chorei. Vi que estava deprimido, dolorido, bonito por fora, amassado por dentro. Sofri 30 dias. Fiquei com icterícia. O remédio, escondido na gaveta, deixava assim…. Que droga.

Uma infecto maravilhosa me orientando e eu ja falava infecto. Comecei a aprender muito. E entrei no grupo dos Amigos Reunidos. Que bálsamo! Ali de tudo se falou. O mundo se desenrolou e fui fazer terapia. E fui fazer exame no CTA. Nada. Alívio? Nenhum. Fui sorrindo, saí chateado. Mais 30 dias para confirmar. Veja, não saí chorando. Já estava mais crescido e informado do que é o HIV. E o grupo me apoiando.

60 dias depois, o carinha ja tinha partido. Contei tudo e ele achou que eu era maluco. Me respeitou, mas nada disse sobre si. Bom, não importava mais. Importante é a gente se cuidar. Dele não sei mais. Mas espero que vá bem.

Deu negativo. Janela respeitada, nada ali. Só minha mente se refazendo. Muitos amigos novos no grupo. Muito mais entendimento. Muito mais alegria de viver. Ainda me falta um último exame em 6 meses. É claro que me importa fazer. Mas não dói mais. Importa, mas não dói.

Viver é isso. É complicado. As vezes erramos, as vezes acertamos. E vamos seguindo. Não há culpados. Somos todos humanos e merecemos nos amar e sermos felizes.

É muito lindo saber que nosso trabalho fortifica à muitos e inclusive da esperança de seguir em frente sem desistência. Agradecemos em primeiro lugar pela sua persistência e na sua credibilidade consigo mesmo. Por outro lado não é somente a parte de fora que as vezes interessa, é o íntimo, é o eu interior.

E esperamos que você encontre esse eu interior e converse com ele, pois vocês precisam seguir juntos e de mãos dadas.


Conte sua história ou depoimento clicando AQUI ou pelo e-mail faleconosco@amigospositivos.com.br, sua indentidade será preservada e sua história ajudará muitos amigos a sua volta.

Outras Notícias

Uma idéia sobre “Depoimento: Fiz tudo errado! Agora já era !? Não há culpados. Somos todos humanos e merecemos nos amar e recomeçar!

  1. Gustavo

    Sua história se assemelha muito com a minha meu caro. Porém, ao contrário de ti me preveni. Usei camisinha, fiz tudo conforme manda a receita. Contudo, ao termino do sexo percebi que a camisinha estava estourada ( ou rasgada propositalmente, tenho quase certeza disto ), ao ver aquilo entrei em pânico. 7hs depois do ocorrido estava no hospital em busca da PEP. Hoje completa 21 dias do ocorrido e ainda me assombro, tenho muito medo. Contando dias, minutos e segundos para fazer o teste. Espero ter a mesma sorte que você e no resultado esteja: Não reagente. Enquanto tal dia não chega fico aqui me assustando, preocupando e tentando me preparar psicologicamente para tudo que possa acontecer. Agora é entregar nas mãos de Deus. Fiz o que estava ao meu alcance.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *